Vanessa de Oliveira. Dicas de amor, sexo, sedução e relacionamentos.

Início / SWING – TROCA DE CASAIS

SWING – TROCA DE CASAIS

SHARE
7304 0

Amiga linda, ao contrário do que muita gente pensa, swingers são casais que trocam de parceiros, mas que não, necessariamente, são frequentadores de casas de swing. O mais indicado é praticar num lugar propício a isso, mas se os swingers preferem locais mais discretos, podem muito bem realizar o encontro noutro lugar, como um motel, por exemplo…

Há outras formas de se fazer um swing sem ser através das cassa, como, por exemplo, pela internet, cadastrando-se em sites especializados em trocas. Sempre dou a sugestão de que se o casal apenas se conhece pela internet, que o primeiro encontro seja feito numa casa de swing, pelos motivos que acabei de relatar. Um casal só deve levar outro a sua casa depois que muita confiança já estiver adquirida. Vale até buscar conhecer pessoalmente as pessoas, sem compromisso (que isso fique sempre bem claro durante as conversas com as pessoas e casais).

As casas de swing são as mais indicadas pelo fator segurança, por terem uma estrutura física destinada a esses encontros e também por permitir que haja um contato mais direto entre os casais.

É necessário, lindona, que eu faça também aqui, um esclarecimento inicial: casas de swing não são lugares de libertinagem, mas de liberdade e muitos são os casais adeptos à prática, que poderíamos até mesmo chamar de “estilo de vida”. Caso você tenha vontade de frequentar uma, a primeira coisa a fazer é falar com seu parceiro. Essa decisão deve ser feita pelos dois, ambos devem estar em comum acordo de que querem estar lá juntos. Não pode ocorrer de um ir apenas para agradar ao outro, a decisão deve partir de ambos. Para swingers, a unidade é o casal.

Uma outra dica que dou, se você ou ele tem ciúmes em excesso, evite ir, já ocorreu de casais falirem a relação por falta de confiança mútua e o que era para ser uma evolução no relacionamento acabou sendo um retrocesso. É importante que o casal esteja forte, seguro e resolvido em detalhes para que não sofram por problemas construídos por negligência. Se vocês forem um casal liberal em relação ao sexo, se confiarem totalmente um no outro e se têm vontade de experimentar coisas novas, participar de um clube de swing pode ser uma boa opção para quebrar a rotina.

Muitas relações já melhoraram com essa experiência, casais de clientes meu já me relataram que acabaram por tornarem-se mais íntimos e cúmplices, um do outro, após essa experiência. Mas você deve ter em mente que se o casal já tem complicações dentro do casamento, o swing não é uma muleta para resolver estes problemas. Um estilo de vida mais liberal deve ser experimentado por pessoas que se amam, que se aceitam como são, que se respeitam e que confiam um no outro.

Um relato corriqueiro de quem é adepto a essa prática é que:

Passa-se a enxergar o o parceiro através dos ‘olhos’ desejantes do outro.

Vou enfatizar algo: Casais que frequentam swing não se traem.

“Como é que é, Van?” Você deve ter se perguntado isso agora, mas é verdade. Eles não se traem por dois motivos, o primeiro deles é pelo fato dos dois estarem conscientes de que está havendo a troca de casal e nenhum estar sendo enganado. Segundo que, por terem uma relação liberal já previamente estabelecida, procuram participar dos encontros sempre juntos sem deixar a outra parte de fora da situação. AMANTE = TRAIÇÃO e SWING = CUMPLICIDADE

Casais que frequentam casas de swing raramente possuem relacionamentos extraconjugais.

O que não deve também ser confundido é swing com amor. Não se faz amor em casas de swing. Faz-se sexo e se estimula o desejo, puramente. Diferente disso, entre o casal, exercita-se o sentimento e o fortalecimento da relação ao se praticar o amor. Sexo com sentimento só é feito entre o casal NUNCA ENTRE OS CASAIS. Assim sendo, o ciúme fica deslocado. Sabe-se que o fato de um dos parceiros estar nos braços de outro, não configura um sentimento, é apenas um desejo sexual.

Entre os casais que se trocam, no máximo existirá amizade e sempre respeito. Swing pode ser também, uma amizade que você irá conquistar e algumas serão ótimas.

Ir a uma casa de swing pode ser uma situação interessante. Mas não necessariamente quem vai lá tem que trocar de casal. Há os que vão apenas para olhar e sentirem-se excitados, que são chamados os voyeres.

Vou dar dicas para quem deseja conhecer esse lugar diferente.

A vestimenta é livre. Use o que lhe deixa confortável. Mas lembre-se, casa liberal não significa lugar com falta de elegância. Se você é uma pessoa do tipo exibicionista e/ou gosta de roupas bem ousadas e provocantes, sim, as boates e clubes de swing permitem e incentivam tal atitude. Se você preferir, pode inclusive sair de casa vestida de maneira reservada e trocar de roupa apenas no local. Geralmente há vestiários e cadeados á disposição dos frequentadores.

Evite usar muitos acessórios, pois você pode arranhar um swinger com pulseiras e relógios em um momento de maior empolgação. Também existe a possibilidade de perda. Não se preocupe caso seja a sua primeira vez, com certeza todo mundo que hoje é swinger já passou por essa experiência e provavelmente, no dia em que você for, outros casais também se encontrarão na mesma situação.

A melhor dica aqui é agir naturalmente. Tente fazer aproximação de maneira cordial e educada, da mesma forma como se faz em reuniões sociais. Apresente-se pelo seu nome, apresente seu parceiro e converse de maneira agradável. Não necessariamente quem conversa irá fazer parte da troca de casais.

Se for a primeira vez do casal, vale à pena usar da sinceridade como um passo para integrar-se ao grupo, diga: Olá, somos novos por aqui e esta é nossa primeira vez”, por exemplo. Depois do primeiro casal, tudo se tornará mais fácil.

Nas casas de swing, regra primordial é educação e gentileza. As pessoas que frequentam esses lugares têm por hábito manter o bom nível. Outra regra também importante que precisa ser percebida por todos os frequentadores é de que existe liberdade e que isso implica também em você recusar e/ou ser recusado.

Isso é feito de maneira diplomática e objetiva, um simples “não, muito obrigado” é entendido por todos. Seja sempre honesto com seus sentimentos e desejos e explique ao parceiro que lhe acompanha o que está se passando com você internamente (sensações, pensamentos etc.). Se um dos dois não estiver à vontade e preferir sair do local, então é hora dos dois retornarem para casa e conversarem sobre o que se passou com uma das partes. Evite tornar traumática a ida a lugares diferentes.

A linha que divide o “eu realmente queria” e o “eu me senti obrigada” a fazer, é tênue. Um “não” divide as duas situações. Isso fará uma grande diferença no dia seguinte, amiga…  Por isso, não tenham pressa em experimentar todas as novidades de uma casa de swing e nem de trocar de casal com todos os frequentadores. O prazer também consiste em se aproveitar bem cada oportunidade. Calma, as casas de swing não vão sumir!

Um casal que começou a conversar com você, lindona, não necessariamente irá fazer troca, muitas amizades iniciam-se nesses locais e conhecer pessoas novas torna-se válido também.

E para você, amiga linda, que acompanhou esse post e ainda não me conhece…  Eu sou a Vanessa de Oliveira e venho estudando o comportamento humano nas relações já há anos e, como autoridade na área de relacionamentos proponho ensinar às minhas alunas o conhecimento capaz de ajudá-las a se autoconhecerem para se desenvolver num amplo espectro da vida pessoal, social, amorosa, profissional e por aí vai…

Certamente, lindona, ao se inteirar mais sobre os ensinamentos que passo através dos meus cursos, você sairá uma mulher verdadeiramente poderosa. São anos e anos, ajudando milhares de mulheres, amiga e os depoimentos a seguir falam por si, olha só:

Esses são apenas alguns, entre os milhares, dos depoimentos que recebo dia após dia, miga e não param. Eu acredito que, como uma mulher inteligente, se você chegou até aqui, certamente você está disposta e quer muito ir mais adiante, não é mesmo?

Estamos falando de um aprendizado que envolve o conhecimento sobre as estruturas comportamentais e, para isso, amiga, basta você seguir direitinho as minhas instruções e estar aberta para aprender mais sobre si mesma e sobre os homens, que a coisa simplesmente vai acontecer até mesmo sem que você perceba… Quando viu, já foi… tipo isso.

No mais, é sempre bom você estar atualizada e atenta aos sinais, quando o assunto envolver a sua vida amorosa… Eu falo muito sobre isso, e, quer saber: no meu curso você terá tudo isso e muito mais e você pode facilmente se INSCREVER CLICANDO AQUI, no botão abaixo, para passar a ter acesso ao melhor conteúdo sobre relacionamentos, coquista, sedução, atração e tudo mais que abrange a vida a dois…

Dá só uma olhada em todo o conteúdo que você terá acesso, lindona, e vê se dá para deixar passar essa chance:

  • Aprender através de vídeos sequenciais, qual é a filosofia de vida de uma mulher magnética;
  • Quais são as ações que você deve tomar desde o momento do encontro até na hora em que estiver se relacionando com o cara;
  • Qual é o comportamento social mais adequado que você deve passar a ter;
  • Como você deve olhar para sua história e o que fazer nas mais variadas situações em relação ao amor;
  • Como potencializar o seu poder de conquista.
  • Vai aprender como se relacionar com os homens, e como desmistificar esse “grande bicho de 7 cabeças” da maioria das mulheres;
  • Você vai saber absolutamente tudo o que eu sei sobre sexo,

E muito… muito mais…

Em outras palavras, trata-se de um processo de desenvolvimento da sua vida pessoal e amorosa que não consiste apenas em Atrair e Seduzir, mas também, de trabalhar a Autoestima e Autoconfiança que são capazes de fazer você transformar sua vida daqui para os próximos 30 Dias… Quer mais? Então tá… Você ainda terá acesso ao Clube da Mulher Magnética, onde poderá conversar diretamente comigo pelos próximos 30 dias (sem pagar nada a mais por isso)… Clique aqui agora e faça a diferença na tua vida, lindona.

É mole ou quer mais…? Te espero na primeira aula, lindona…

Vanessa de Oliveira.